terça-feira, 17 de novembro de 2015

O que seria uma compra racional do carro?

  Alguns dizem que só se deve comprar um carro em últimos casos, como não podendo mais usar transporte público ou andar a pé. Outros que tem  vontade de ter um carro usam a regra dos 10% do patrimônio ou então 5%. A necessidade de ter um automóvel hoje em dia não é regra geral, mas existem uma série de outros fatores criados na cabeça das pessoas que fazem as mesmas adquirirem um sem a necessidade real do mesmo, como status, sucesso com as mulheres, sensação de "liberdade" para aproveitar a juventude, ascensão, dentre outros.

   Uma compra ideal de um carro seria aquela que não vá deixar seu fluxo de caixa no vermelho, além disso, que mesmo com a aquisição, seu fluxo de caixa continue de vento em popa. Que você consiga continuar fazendo bons aportes e tendo sua reserva de emergência, (Que provavelmente poderá ser usada para a manutenção do carro) Agora em relação a compra em si, caso você não ganhe um carro, vai ter de avaliar sua necessidade, se for usar o carango só na cidade mesmo, solteiro por exemplo, um  mais simples supriria essa necessidade. Se for possível usar o carro dos pais ou andar a pé é melhor nessa fase de acumulação de capital. Bicicleta também vale, moto reduz custos, mas eu por exemplo nunca usaria. Alguns dizem que preferem dar 30 k num carro usado/seminovo mais completo do que comprarem um de 10 k pelado e antigo.

            A compra ideal para alguns: " Pague 1 e leve 2 "
             Na imagem, uma representação de visões.

  No Brasil também tem toda essa questão dos preços não valerem o que o carro oferece. Carros com itens de segurança avançados deveriam ser bem acessíveis por exemplo. Nos eua eu vejo vídeos de brasileiros com carros como Mercedes, Camaros, challenger, a maioria deles financiou, mas se uma pessoa tem a mentalidade de adquirir ativos para depois manter passivos tranquilamente, ela pode ter carros assim sem nenhuma preocupação. Imagina só no Brasil alguém com um challenger, o alvoroço que não iriam causar.

  Um carro mais completo por um preço de um popular pode dar um pouco mais de manutenção, um popular não vale o preço e um carro antigo e barato não tem praticamente segurança nenhuma. Conheço defensores ferrenhos do carro novo e do carro seminovo/usado. Racionalmente falando, a compra do carro não deve afetar seu fluxo de caixa e deveria ter um percentual baixo de seu patrimônio, mas você não vai morrer se precisar comprar um antes desses requisitos, não são 10,15 k por exemplo que vão te deixar na pobreza para o resto da vida, mas se possível, use o carro dos pais ou ande a pé até acumular mais. Bicicleta também vale.
 
   Quem sabe se o povo brasileiro começasse a boicotar as montadoras, elas não abusariam do poder de  acolherem  sonhos e lançarem pesadelos. Vamos fazer nossa parte.

   Abraço.

17 comentários:

  1. O problema é que o brasileiro compra por estatus.

    Pode morar em barraco com paredes de papelão que irá querer está na moda com seu Nike 12 molas, boné da cone crew, camiseta da reserva.

    O sonho das periferentas é ter um iPhone e a casas Bahia permite ter, claro que em 17 suaves prestações.

    Quem anda de borrachão é zé ninguém, quem tem uma pipoqueira 125c já é bom partido. Agora quem tem uma kawasaki ninja é rei.

    Mesmo se o preço do gol subisse para 100k ainda iria ter gente comprando, pois o preço dos outros consequentemente iria aumentar e mesmo quem tivesse essa carroça iria ter um maior estatus perante aos outros chimpas brasileiros.

    É bonito ostentar mesmo que não tenha o que botar na mesa. O bom da vida é gastar mesmo o que não tem, pois quando se lascar irá ter o papai estado para sustentar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As pessoas parecem que não trabalham o lado psicológico.
      Ninguém é pobre porque não tem carro, ou porque não mostra roupas caras, ouro/prata, etc...

      Excluir
  2. O problema é que o brasileiro compra por estatus.

    Pode morar em barraco com paredes de papelão que irá querer está na moda com seu Nike 12 molas, boné da cone crew, camiseta da reserva.

    O sonho das periferentas é ter um iPhone e a casas Bahia permite ter, claro que em 17 suaves prestações.

    Quem anda de borrachão é zé ninguém, quem tem uma pipoqueira 125c já é bom partido. Agora quem tem uma kawasaki ninja é rei.

    Mesmo se o preço do gol subisse para 100k ainda iria ter gente comprando, pois o preço dos outros consequentemente iria aumentar e mesmo quem tivesse essa carroça iria ter um maior estatus perante aos outros chimpas brasileiros.

    É bonito ostentar mesmo que não tenha o que botar na mesa. O bom da vida é gastar mesmo o que não tem, pois quando se lascar irá ter o papai estado para sustentar.

    ResponderExcluir
  3. O meu carro está velho, embora a aparência seja a de um seminovo, já está mais do que na hora de trocar, mas por causa dos itens de segurança.

    A forma mais barata de comprar é o consórcio, porque às vezes a taxa de administração paga é menor do que a remuneração da poupança no período do consórcio. Espera o sorteio, ou, senão, dá um lance quando estiver num patamar razoável. Eu fiz assim nas outras vezes, já fui sorteado, e já dei lance também. Dessa forma, se realmente precisa do carro, o que é muito útil, basta acomodar o consórcio no orçamento.

    No cotidiano nem minha esposa nem eu usamos o carro. Todavia, o carro dá uma sensação de liberdade, porque sempre que é preciso ele está lá, numa emergência, em viagens, para fazer compras e em deslocamentos nos quais o transporte público não existe.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Carros aqui na blogosfera carros são mais polêmicos que mamilos , daria uma pesquisa mais acredito que a maioria daqui tenha um por N motivos, eu sempre tive carro mais o que mudou foi o motivo de compra e a forma que vejo , primeiro o carro tem suprir suas necessidades e ser compatível com sua renda meus argumentos a favor são : economia de tempo , disponibilidade do transporte , conforto, depende o modelo inclusão no meio social ,e hobbies , fazer compras, viagens curtas (longas saem mais baratas de ônibus ou avião só compensa viagem longa se for com carro cheio) , agora os argumentos contra na maioria são financeiros mesmo mais acho que o custo e superado pelas recompensas e esse custo tem ser consciente e planejado e para não me alongar aqui defendo o carro usado comprado a vista … mais fica aberta discussão … gostaria de ver ponto de vista de cada um … bom dia e abraco

    ResponderExcluir
  5. Lyrical Master a minha melhor compra do ano foi uma moto, realmente mudou minha vida. E eu sempre ando na "maciota" como dizem meus amigos, mitigo todo o risco que posso. A economia chega a ser inacreditável, encho um tanque inteiro com 18 reais e ando 250 km!

    As vezes vou pro guaruja com ela e gasto cerca de 20 reais para ir e voltar!
    As vezes vou fazer compras no centro, vou no mercadão, vou na zona cerealista, vou no brás...então acabo economizando com coisas que eu teria que comprar de qualquer jeito.

    Eu realmente acho que vale a pena fazer o calculo da relação risco/retorno.

    Grande Abraçoo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não gosto de moto mas reconheço que os custos são muito baixos.

      Excluir
  6. Como você sabe eu adquiri um carro em meados de agosto. Até agora tudo muito tranquilo com relação a despesas ou dores de cabeça. Tudo vai depender da necessidade de cada indivíduo. O meu carro já me salvou o couro várias vezes. Meu patrimônio "caiu" pela metade mas ainda o possuo pois só me basta vende-lo. Os custos com impostos e combustível são recompensados pelo conforto e pela necessidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O carro não é um dinheiro totalmente perdido, querendo ou não, ele vai desvalorizar mas vai continuar valendo algo.
      O outro lado da moeda são as questões de manutenção mesmo.

      Excluir
  7. O primeiro carro é importantíssimo...A liberdade e a qualidade vida que um carro te proporciona é algo que não tem valor.
    A compra deve ser sempre consciente e de acordo com o seu patrimônio e sua receita, mas o primeiro carro pode-se abrir algumas exceções.
    As outra trocas só a vista e depois de ter feito a lição de casa bem feitinha... com evolução patrimonial condizente..
    Não me vejo andando de busão ou de bike ou algo do gênero.

    Existem opções muito em conta.

    Grande Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma opção interessantíssima é usar o carro dos pais.
      É melhor comprar o primeiro carro aos 40 por exemplo, do que comprar com 20 não tendo condições nem de manter um fiat 147.
      A regra dos 10% do patrimônio é interessante. Quanto menos que 10 % melhor, mas isso depende de cada um também.

      Excluir
  8. Compra racional de um carro:

    http://investidortroll.blogspot.com.br/2015/07/como-escolher-um-carro.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tinha lido seu post, boas considerações.

      Excluir
  9. Infelizmente no Brasil ter carro é uma necessidade, vivemos em um clima tropical onde é inviável você se locomover de bicicleta ou até mesmo a pé, já tentei isso algumas vezes ao ir ao meu trabalho, resultado, cheguei suado, pingando mesmo.
    Quanto ao transporte público, nas cidades que possuem não dão conforto algum aos usuários, são cheios, quentes e totalmente sem horários definidos.
    Infelizmente ter carro é uma necessidade, é um conforto embora possua preços abusivos.

    ResponderExcluir