quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Escrever um livro vale a pena?

Escrever é um passatempo para muitos que inclusive não visam ganhos financeiros, mas apenas um reconhecimento de amigos e até pessoas que nunca viram na frente, este seria o barato da coisa. Com o tempo isso se torna algo corriqueiro na vida da pessoa um exemplo é o pessoal da própria blogosfera. 

No Brasil, pode não ser um bom negócio ser escritor. O povo brasileiro tem uma cultura extremamente audiovisual, por aqui é raridade os leitores assíduos, e mais raros ainda os brasileiros que leem livros de brasileiros. Como o mercado de literatura nacional é pequeno, as editoras dão poucas chances aos escritores iniciantes. É uma batalha conseguir publicar o seu livro, e um desafio maior ainda conseguir formar uma "carteira" de bons leitores. 



Existe uma verdadeira indústria, o que significa que esse mercado é também industrial. As publicações de livros são realizadas por um esquadrão de autores profissionais com os quais é bem difícil concorrer, muitos deles escrevem por encomenda, sob um padrão criado por editoras. As famosas fábricas de "best sellers"

A chance de fazer um marketing de maior sucesso na literatura aumenta se o futuro escritor já possui seguidores, como é o caso desses grandes blogueiros, youtubers, cantores, artistas e políticos. Pode se arcar com os gastos da publicação e divulgação ou intermediar com uma editora, que nem sempre pode lhe dar o devido valor caso você não seja um nome grande. 

Quem busca ser escritor profissional mesmo, viver disso, tem sonhos como em ver sua obra adaptada para um filme, vender milhões de livros, ter seguidores e suas noites de autógrafos em eventos grandiosos. Se for pensar em ganhos financeiros o escritor pode desanimar, mas se for apenas pra realização pessoal então pode valer a pena o enorme esforço para escrever um livro. 

Abraço.

9 comentários:

  1. O Brasil é um país de analfabetos, essa é a verdade, melhorou muito nos últimos anos, mas ainda detém a maior população de analfabetos da América, salvo engano, e isso levando em consideração que aqui é alfabetizada a pessoa que sabe apenas escrever o nome.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Basta saber assinar o contrato do financiamento.

      Excluir
  2. Gosto muito da idéia, mas acho dificílimo fazer sucesso com ideias próprias, sem adaptar ao gosto do mercado. Me parece que o mercado é dominado por grandes editoras que pagam uma merreca pro autor caso a obra seja escolhida.
    De qualquer modo se aprende bastante estudando e escrevendo sobre um assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O jeito é ser o mais independente possível.

      Excluir
  3. Bons autores sempre tem seu devido reconhecimento.
    O que não vale é reclamar e ser um péssimo escritor.

    Marcelino Freire ganhou o jabuti... e outros prêmios menores. Se envolveu com teatro e está ganhando sua grana em sampa.
    Raphael Montes é um garotão carioca... apesar de jovem, o rapaz sabe o que faz. Já foi traduzido pra 3 idiomas, é convidado frequente de feiras de literatura na américa latina... e passou a ser roteirista de canais pagos da rede globo. Ele não tem 30 anos...

    Um exemplo de tragédia seria o Eduardo Spohr, que mendiga like em rede social e não escreve PN... virou peso pra papel.

    ResponderExcluir
  4. Bacana LM,

    Nao conheco nada sobre o mercado profissional disto, mas seria legal conhecer.

    Achei valido o tema.

    Abraco

    ResponderExcluir