O que você faria se sua esposa/marido te trocasse por outro (a) após terem filhos?

Você se planejou financeiramente por anos pra ter filhos, julgou ter encontrado a pessoa ideal pra isso, mas do nada após alguns anos do nascimento da criança a pessoa ao seu lado decide te trocar por outra. Não se atraí mais por você e passou a se atrair por alguém melhor na visão dela. Argumenta que os planos de vida de vocês são muito diferentes.

A grande questão é a residência do casal, porque se ela foi financiada pelos dois juntos e ainda resta muito tempo pra pagar, difícil saber com quem vai ficar a moradia e se vai ficar com alguém, o mais justo talvez seria o casal alugar e seguir pagando o financiamento com o dinheiro do aluguel.

Se cada um entrou com metade do valor do imóvel, teria que vender e cada um recebe metade. Se moravam de aluguel menos ruim, exceto se os dois quiserem continuar morando no local, ou sai um ou saem os dois. Dinheiro no banco ai vai depender do bom senso se casaram com comunhão parcial. Se um guardou mais que o outro e seu cônjuge quiser metade na separação, alguém sai no prejuízo.

E ainda fica com aquela sensação de que a pessoa vai usar seu suado dinheiro pra se divertir com outra. Você guardou 100 mil no período do casamento e a outra pessoa nada, perdeu 50 mil se ela quiser a parte dela. E ainda tem a questão da guarda da criança. Não sei se na maioria dos casos existe bom senso com isso, sem precisar ir pra justiça.


Comentários

  1. Eu seguiria o plano determinado. Comunhão parcial = metade para cada um e ponto final.
    Vida que segue. Ficar chorando leite derramado não adianta nada.
    Dinheiro não é tudo.
    Sim, é MUITO importante, mas não vou definir minha vida baseada apenas nele.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Se o cara fez a merda de casa e ter filhos e se encontra na situação descrita a melhor coisa é fazer um acordo na justiça e liquidar todos os bens o mais rápido possível, nada deixar pra mulher pros filhos nada de boca tudo no papel , paga a pensão o minimo possível se achar que deve fazer mais, ajude pontualmente diretamente a criança.

    ResponderExcluir
  3. Pobretão de vida ruim vive?
    20.39

    ResponderExcluir
  4. Passei por uma situação um pouco mais suave em 2010, estava morando junto, não tínhamos filhos, mas eu havia pego dinheiro emprestado com os meus pais para dar de entrada em uma casa e financiei o restante, ela não tinha nada, após 1 ano morando juntos descobri uma traição, não tínhamos nenhum acordo por escrito então ela saiu de casa, mas logo pegou um advogado para reivindicar a parte dela da casa, por ingenuidade acabei fazendo um acordo e paguei uma grana para ela, e fiquei com a casa, se fosse hoje eu teria vendido tudo até os moveis, quitado o empréstimo com meus pais e dividido o que sobrou, pois fiquei com uma prestação muito acima do que eu poderia pagar e fui pegando empréstimos para honrar as dívidas que ficaram em meu nome, aluguei a casa, ao longo dos anos tomei calote de imobiliária, de inquilinos, depois veio a crise o preço dos imoveis despencou, enfim tomei um baita prejuízo ao longo dos anos, se tivesse vendido e quitado as dividas não teria sobrado nada para nenhuma das partes, mas eu estaria sem dividas e certamente meu patrimônio seria maior hoje, sem contar o quanto me incomodei com inquilinos que desapareciam e deixavam o imóvel destruído.

    ResponderExcluir

Postar um comentário