quinta-feira, 7 de julho de 2022

Vale a pena ficar com o mesmo carro durante a vida toda?

Ficar com o mesmo carro pela vida toda exige uma escolhe bem específica, tanto em questões de manutenção do veículo, como em conforto, robustez. 



Irv Gordon na foto acima dirigiu seu Volvo p1800 1966 durante 51 anos, rodou 5 milhões de quilômetros e tem o recorde de carro de passeio mais rodado do mundo. Faleceu em 2018 e o carro está no museu da Volvo.

Se todo mundo tivesse essa visão de nunca trocar de carro, os preços dos carros novos seriam diferentes ou a indústria automobilística iria falir.

A maioria das pessoas nunca vai conseguir rodar 5 milhões de quilômetros, em contrapartida, existem carros de 30, 40 anos atrás que ficaram guardados e não possuem nem 100 km rodados, por mais que sejam carros de coleção, como o Chevette 1989 abaixo:




Esse Chevette acima, do ano de 1989, têm apenas 75 quilômetros rodados. Época comum das pessoas comprarem carro e guardarem pra se protegerem da alta inflação.

Quem não tem um carro antigo com 75 quilômetros ou com 5 milhões de quilômetros, que é a maioria das pessoas, terá de decidir se troca de carro ou não. Já foi provado que a quilometragem não importa em um carro pra vida toda. Seja ela baixa, seja ela alta, o carro não vai se desintegrar, embora mesmo o carro que fique guardado 30, 40 anos exige troca de peças por desgaste do tempo.

É uma pena ver carros mais novos já mal cuidados, algumas pessoas não trocam nem amortecedores, pneus, óleo, mas querem que o carro ande sem parar.

Vale a pena sim ficar com o mesmo carro a vida toda se for o carro certo pra pessoa e ela estiver disposta a cuidar. 

Abraço.


4 comentários:

  1. Respostas
    1. na prática, se eu gostasse de carros, talvez usasse dois carros:

      1 - carro antigo/colecionador/hobbie - para restaurar ao poucos, aprender sobre mecânica (de carros antigos) na prática, andar apenas nos finais de semana e manter até morrer

      2 - carro basicão popular - pro dia a dia e seria trocado quando virasse um problema

      ---------------------------------------------------

      desde que os modelos não fossem muito caros, acho que com um padrão de classe média daria para manter os dois

      Excluir
  2. Eu tenho meu golzinho G3 há uns 10 anos kkk
    No meu caso é falta de interesse em trocar mesmo...

    ResponderExcluir
  3. Eu não sou nenhum entusiasta de carros.

    Como sou jovem ainda estou no meu primeiro veículo que comprei em 2018 como 0km. Confesso que não tenho nenhum apego por ele, e quando ele começar a me dar muita dor de cabeça vou simplesmente me livrar dele e migrar para o próximo.

    Entretanto conheço pessoas que tem veículos por amor (principalmente veículos antigos), entendo perfeitamente que gostos pessoais não se discutem, mas considero que "colecionador de carros" é coisa que serve só para quem tem uma boa grana para bancar.

    Abraços,
    Pi

    ResponderExcluir